procura

Google

quarta-feira, 16 de março de 2011

Povo japonês surpreende na tragédia


16 de março de 2011.

Hoje o que mais tem chamado minha atenção nos jornais desse país são entrevistas e imagens de desabrigados.

Pessoas ainda estão sendo resgatadas. O combustível está ficando escasso em todo país. Há  falta de alimentos, água e remédios.

Os reatores nucleares estão fora de controle. Devido a alta radioatividade medida no ar, os últimos funcionários que tentavam conter o aquecimento foram retirados da usina. Há um certo clima de histerismo na população, porém, sempre bem contido pela tradicional educação japonesa.

As operadoras de celulares estão enviando caminhões com antenas para as regiões em que as antenas fixas foram danificadas. Me emocionei muito ao ver duas meninas falando com o pai ao celular, ele dizia que iria buscá-las assim que possível e elas choravam muito.

Vemos aqui pessoas que perderam muito, bens e até parentes. Elas passam necessidade, sofrem com falta de quase tudo que possuíam, comem uma vez ao dia um bolinho de arroz (onigiri). E ainda assim, permanecem educados, não fazem bagunça, tentam ordenar tudo em filas, e são agradecidos sempre que são entrevistados.

Apareceu uma reportagem em um abrigo. Alguns  adultos, ao serem entrevistados, revelaram que só hoje, depois destes 4 dias seguidos após a catástrofe, era possível provar refeição esquentada. Naquele mesmo lugar, o repórter perguntou às crianças se estavam felizes por comer comida quente, e eles mal respondiam, tinham olhos cheios de lágrimas e ao mesmo tempo mantinham o sorriso sofrido no rosto.

Os japoneses esbanjam lição de civilidade. Mesmo em horas tão difíceis não abandonam a educação e o bom senso. Lição muito válida para nós ocidentais e para toda a igreja também. É assim que mostramos o respeito pelo próximo.

Nota 10 também para a comunidade brasileira que tem se mobilizado em todas as províncias para fazer doações às pessoas atingidas pela tragédia.

Postagem revisada em 20 de março de 2011.

5 comentários:

Anônimo disse...

Isso mesmo, no meio de tanta tragédia é admirável o respeito e sobretudo o amor ao próximo que tem o povo japonês uns pelos outros. Não vemos e nem ouvimos noticías de saque, roubo a casa alheia. Lição esta, que algumas pessoas entre nós brasileiros poderiam muito bem aprender com um pouquinho de esforço. Pois, lembro-me que na tragédia do Rio de Janeiro(Petrópolis)o que mais se falava além da tragédia era no medo das vítimas que temiam e sofriam roubos e invasões do pouco que lhes restavam ao meio a lama, terra, entulhos.
Para aqueles que respeitam o outro na dor, parabéns.
Para aqueles que ainda desconhecem isso, façam um esforço e levem em conta este provérbio: pois um dia o meu, outro o seu.

Natinha disse...

Essa reação dos japas é de encher o coração de alegria e solidariedade!
E uma lição de vida né...

www.intuicaofeminina.blogspot.com

Beijos

SILVANO SILVA disse...

A Paz do Senhro Cintia,

É tudo muito triste e chocante... parece até filme sobre o fim do mundo... essa história da radiação então deve se o que mais está pertubando a mente do povo ae...

Mas estou orando...

E Deus vai conceder vitória...

Que vc e seu marido, sejam muito usados ae para ganhar almas.

estou te seguindo no blog, e também no twitter...

meu link http://silvanosilva2.blogspot.com/

Abraços!!

Eliseu Antonio Gomes disse...

Olá.

Tenho assistido a NHK. O sinal dessa emissora está aberto aos assinantes do sistema de televisão à cabo de uma empresa que opera em São Paulo.

Neste momento, às 4h45, madrugada brasileira, vejo uma transmissão ao vivo.

Ontem, apesar de não entender o idioma. Percebia a diferença de enfoque entre os editoriais de jornalistas do ocidente e do oriente. Mesmo sem ler conseguir ler ideogramas, pude notar o quanto os japoneses são pacatos, equilibrados.

Que o Senhor abençoe todas as pessoas que se encontram no Japão!

Fique com Deus.

*LUCY* disse...

Obrigada a Todos que nos mandam em forma de palavras e orações força e a certeza que existira vida apos isso tudo...estou na provincia de Gifu (Guifu) e posso atestar que todos aqui sofremos com a falta de coisas que nunca em nosso dia a dia imaginamos ser importante!! No começo fiquei indgnada ao ver meus amigos Japoneses na Fabrica agindo como se as coisas estivessem normais...aos poucos entendi e me sinto agradecida por eles nunca terem me deixado mais desesperada do que estou na verdade...Não posso fazer muito, mas o que posso faço e me sinto mais tranquila..assim TODOS aqui vivemos...sabendo que os dias piores Ainda não chegaram, mas depois que chegarem, tambem vão passar...evitamos nos olhar nos olhos uns dos outros,porq sabemos o que vai no corações...estamos em pé...e isso por hoje nos basta!!!



Todos os artigos podem ser copiados, desde que citada a fonte.